Little Diary 10- It´s a beautiful day

A correria tão usual, a luta contra o tempo.
Protestos se iniciando, pai chegando, o metrô vai começar a lotar, uma revolta vai estourar. Tic tac, tic tac.
Passa rapidamente pelas catracas e a câimbra já querendo se manifestar na minha panturrilha. Sabia que não deveria correr, mas era preciso, não somente pelo fato de eu estar atrasada mas porque sentia que algo ou alguém estava me esperando, iria acontecer, aquela sensação finalmente se dissiparia.
Respiração ofegante devido a corrida e a falta de saúde que convém agora. Crise de tosse. Lembre-se do que o professor de biologia disse: flexione e relaxe os músculos, pense em bailarinas se alongando.
Por que raios esse metrô está demorando tanto?!
E aí, tudo acontece: viro para o lado, o fim do “corredor” do metrô. Já tinha percebido a presença de alguém ali. Estava tudo tão calmo que qualquer um perceberia aquele ser andando de um lado para o outro agitado, mas de qualquer forma, sempre olho para lá quando espero, na esperança de aparecer algum cara bonito, algum sinal, sei lá. Sou mais uma adolescente sonhadora oras..
Mesmo com o meu hábito de sempre andar sem óculos e portanto com os meus 2,5 (ou mais) de miopia me atrapalhando, reconheço aquele jeito de andar: parecia preocupado mas descontraído, passos um pouco atrapalhados mas alegres, aqueles pés meio que atrapalhados. Aquele jeito de se vestir… suéter branco. Aquelas costas e meu Deus, aquele cabelo.
Já não havia mais dúvida.
E foi aí que ele virou e, mesmo sem enxergá-lo, não tinha como ser outra pessoa. Ele é único.
Uma pontada de angústia por não poder me mexer, não poder correr para ele e dizer o quanto eu sinto sua falta e necessito desabafar, o quanto eu preciso das suas ligações no recreio. Felicidade por depois de alguns meses vê-lo diante de mim por completo. O terror que ia crescendo dentro de mim: estava vendo uma assombração.
Mesmo naquele curto e ao mesmo tempo tão longo percurso de uma estação à outra, fico me perguntando se realmente é ele. Se eu devo fazer alguma coisa…
Troca de olhares, agitação nas mãos, nervosismo.
Será que eu devo falar com você ou não? Pego o óculos para confirmar as suspeitas ou não?
Mas, eu sabia que se pegasse e enxergasse a realidade, não conseguiria fugir dela, finalmente teria que encará-la de frente, da pior forma possível.
Teria que falar um oi pelo menos, mas não posso. Você me odeia e acho que as coisas tem que ser assim para que um dia eu seja perdoada. Irônico não?
Só sei que quando menos percebi estava em casa. Uma música estava tocando, um borrão na minha mente, mil pensamentos correndo à solta, um único rosto.
O seu.
Era mesmo você ontem no metrô?
Totalmente perdida e confusa,

-R

Para você 5- Breaking Dawn (Part 2)

Eu acho que estou começando a me entender..
Finalmente agora eu entendi o que sinto por você e as razões pelas quais eu não consigo o sentimento, que aparece de tempos em tempos, adiante, a vontade de me ater a você e todas as outras coisas que faz uma pessoa apaixonada ser o que ela é.
Simplesmente não é amor, paixão, gostar, paixonite, “quedinha” ou qualquer que seja os outros modos que o ser humano inventou para denominar esses modos de se “relacionar afetivamente” com alguém.
Apenas acontece que o que sinto por você é um aperto no coração, mas nada mais que isso. Nenhum significado romântico por trás disso.
O que eu sinto é a saudade de algo que eu nunca senti na vida. Saudade e vontade de amar alguém.
Mas, infelizmente, finalmente, infelizmente, realmente ou sei lá o que mais, esse alguém não é você. Nunca foi.
Por isso que essas coisas acontecem.
São princípios meus que dizem que somente deve-se ficar com certa pessoa que no mínimo se goste. Nunca fui boa em ser falsa e tentar enganar aos outros ou a mim mesma, principalmente no que se quis respeito à sentimentos, alguma hora a verdade aparece.
Apenas espero um dia encontrar a pessoa com quem eu queira ficar durante mil anos e muito mais, que seja meu príncipe e salve-me dessa vida terrível, que me faça nunca sentir saudade de nada.
E você também, deveria tentar seguir em frente finalmente, esquecer o passado, não tentar se enganar com um presente tenebroso e um futuro que não irá acontecer.
Já chega, acabou.
Agora finalmente estou livre, tente entender…
Finalmente liberta

-R

Carta ao estrangeiro-Parte 2

Querida pessoa, 

 

Não é seu aniversário nem nada dessa vez, mas passados dois anos, acho que chegou a hora de escrever novamente…

Nesse tempo em que eu permaneci ausente, aconteceram muitas coisas. 

Assuntos e acontecimentos que nem mesmo você irá poder mudar. É bom que aproveite as coisas calmamente e nunca se esqueça quem é porque você possui uma personalidade tão radiante que até nos meus dias mais obscuros, quando me lembro de você, simplesmente sorrio e tento seguir em frente.

Eu não gosto muito de falar sobre nós, o que aconteceu no passado pois fico muito triste com isso, mas há males que são necessários, né? E, acho que eu te devo uma continuação da história…

Bem… Vamos ver aonde eu parei…

Ano de 2011, conhecido também como um dos piores anos da minha vida: toda aquela calmaria e a sensação de finalmente se sentir encaixada em algum lugar, com diversos amigos, foi embora quando eu descobri que iria me mudar de escola. E, a partir disso, as coisas começaram a se desmoronar.

Eu deixei o garoto que eu gostava muito para trás, meu primeiro e mais novo melhor amigo, minhas risadas, memórias, além de várias amigas preciosas.. Todas elas me esqueceram e sobrou apenas você para tomar o lugar de tudo e, pode apostar que foi uma boa substituição acima de tudo.

Eu não me encaixei nada bem nesse novo colégio e estava ficando a cada dia que passava mais triste e solitária. Assim que eu chegava na escola, mal via a hora de sair dela, era algo simplesmente insuportável, mas você amenizava as coisas para mim, sempre me acalmava.

À noite, sempre nos encontrávamos para falar do nosso dia, contar umas piadas, rir e chorar um pouco, tentar esquecer um pouco a vida e os problemas de ser um adolescente deslocado. E foi por meio disso que ficávamos cada vez mais próximos e que eu melhorava cada vez mais.

Dizem que ficar falando com psicólogos, comprar um cachorro, tomar remédio anti-depressivos ajudam e muito, mas essas pessoas falam isso porque nunca conheceram você.

Aos poucos eu fui arranjando amigas mas mesmo assim as coisas não ficaram muito bem. Quando não era a escola, o problema que eu tinha era em casa, com os meus pais (que até hoje não me entendem e continuam a brigar, só pra saber). Além disso, eu não sentia uma conexão muito forte com elas, aquele tipo de sentimento de que você nunca mais quer ser amiga de mais ninguém e que só ela basta, sabe? Para mim, isso sim que é amizade.

Mas enfim, o Ruan magnífico também percebeu isso e me ligava todo santo recreio pra trocar umas poucas palavras, pra saber como eu estava, as nossas conversas tão estranhas sabe… E você nem sequer imaginava o quão envergonhada e feliz eu ficava quando via no visor do meu celular o seu nome.

Depois disso vieram os encontros pelas manhãs, eu correndo feito uma louca pra chegar no Etapa a tempo antes da sua aula de laboratório, a sua ex namoradinha/amiguinha sempre colada em você me fuzilando com os olhos, as suas caras de surpresa sempre que via falando como eu estava bonita, o nosso jeito tão envergonhado de ser quando depois de tanto tempo, a gente se encontrava cara a cara.

E então veio as férias e de dois passamos para três. Na época eu nem liguei para aquilo porque eu realmente achava que não teria chance nenhuma de ninguém tomar o meu lugar. Como eu estava enganada e cega.

Cega referente à diversas coisas na verdade, como por exemplo: como eu era grossa e insensível com você e, como ela era o contrário, o quanto você confiava nela, o quanto se aproximavam, o quanto os sentimentos de cada um (inclusive eu) estavam ficando cada vez mais confusos e misturados, o quanto as coisas estavam começando a ficarem complicadas.

Acho que quando começa uma amizade entre menino e menina, deveria ter um contrato ou algo do tipo para os dois assinarem e concordarem em nunca se apaixonar, porque as pessoas não imaginam o quanto isso pode estragar uma amizade quando fica incontrolável e, principalmente quando uma das partes é uma pessoa como eu, que segue a risca todas as coisas que os seriados americanos e os filmes de amorzinho dizem sobre namoro e que vive e acha que o namoro é um conto de fadas.

Mas enfim, as coisas continuaram assim até o fim do ano quando eu decidi que tentaria pelo menos esquecer o meu romance/amor de escola com o ruivo e, também finalmente tinha decidido que não teria nada entre a gente e, foi aí que eu me enganei.

Me lembro até hoje daquela noite, um ou dois dias antes de eu ir para a minha viagem de formatura, não claramente (é claro) mas os acontecimentos mais importantes. Era mais ou menos meia noite e eu nem imagino como é que chegamos naquela conversa. Só sei que de repente você começou a me mandar umas indiretas e disse que precisava me contar algo muito importante.

Eu, a ingênua nem desconfiava o que era, afinal sempre quanto eu tentava adivinhar e tinha a esperança que falasse: “Gosto de você”, acabava mandando a bomba de que lá vinha mais outra namorada idiota, então como é que eu iria saber que finalmente o meu “sonho” estava se tornando realidade?

Eu nem acreditei. Na hora eu pulei, gritei, sacudi as coisas do meu quarto inteiro. Até acordei a minha mãe que, leu toda a conversa e começou a responder por mim…

Eu sei, idiotice, mas uma garota totalmente bêbada de sono e que acabava de receber a primeira declaração direta da vida dela, não sabia o que estava fazendo. E eu só me dei conta daquilo quando a minha mãe falou que “eu” gostava de você (não que não fosse verdade…), mas aí já era tarde demais para voltar atrás…

 

Little Diary 9- Set fire to the rain

Image

 

Não posso te ajudar nisso, mas o que eu posso te dizer é não ir na onda dos teus pais que estão fazendo você pensar que não serve para nada.

 

Ninguém acreditou em mim, no meu potencial, que eu vou alcançar meus objetivos ou que algum deles irá chegar perto do que as pessoas chamam de “sucesso”.

Até hoje ninguém acreditou.

São todos: os supostos amigos, pessoas da escola, do trabalho, os próprios pais.

Sempre com aquela expressão de surpresa com um toque de repugnância. Aquela cara como se tivesse uma placa em neon gigante em cima de suas cabeças escrito: Tem certeza que você vai fazer isso..? Você não vai conseguir.

Tem outros que são mais diretos, é claro. Diretos até demais para falar a verdade…

Nem sei mais se eu tenho fé em mim mesma. Sempre tem algo que eu preciso melhorar, começam a aparecer cada vez mais obstáculos, mais planos que não estão dando certo, mais esperanças quebradas.

Há situações bem mais complicadas e dolorosas, como com a minha mãe. Afinal, não é todo dia que um “campeão”, o melhor tem que ser forçado a tirar o troféu de seu enorme pedestal por vergonha dele não parecer mais perfeito o suficiente para você e para os outros…

A filha perfeita com notas mais perfeitas ainda, poliglota, a melhor da escola, a mais inteligente, a mais bonita, a que todos sentem inveja.

Perfeita, perfeição, simplesmente fabuloso, aos olhos dela e dos outros.

E agora, a tal filha que iria se tornar uma célebre juíza, advogada, médica ou sei lá mais o que, quer se tornar cantora, escritora, atriz.

Deve causar decepção mesmo, causa vergonha né? Como se você tivesse falhado…

Mas lembre-se que sempre começa assim as melhores histórias: com ninguém acreditando.

Lembre-se que quando realmente se quer algo, você luta até o fim, não importa quais sejam os obstáculos que tenha que tirar do caminho.

Por ora é só tentar outro plano e fazer dar certo dessa vez.

E eu prometo que um dia você terá orgulho de mim novamente, assim como eu terei.

Me sentindo uma porcaria,

 

-R

Little Diary 8- My meaning of love

Image

Jason: Eu não acredito que temos só uma alma gêmea. Acho que temos várias chances de encontrá-las.

 

Thousand Years- Glee version

http://www.youtube.com/watch?v=xDlImvupel4

 

Forever and For Always- Shania Twain

http://www.youtube.com/watch?v=IpT-FW_G8-A

 

Lucky-Jason Mraz

http://www.youtube.com/watch?v=acvIVA9-FMQ

 

Let me love you- glee version

http://www.youtube.com/watch?v=DoIr-_-9GKM

 

It will rain- Bruno Mars

http://www.youtube.com/watch?v=W-w3WfgpcGg

 

How deep is your love- Cameron Mitchell version

http://www.youtube.com/watch?v=3Zo_4rdcKlI

Little Diary 7- Le amour

Image

 

O amor é fogo que arde sem se ver..?

É ferida que dói e não se sente..?

O amor é algo tão inexplicável que apenas somente quando você o sente, sabe como ele é..?

O amor é uma grande afeição de uma pessoa para com a outra…?

O amor está no ar

O amor está na rua, na escola, no trabalho, no parque

Está em todo lugar

Basta somente querer encontrá-lo

Eu no momento, ainda não o encontrei e nem sei qual é a sensação que ele proporciona

E nem estou com muita pressa de o encontrar

Afinal o amor aparece quando estamos prontos, o momento certo

Com a pessoa certa

Estou bem amando somente a boa comida, a Hillary e o meu sono

E a música é claro, que me abastece todos os dias e que me faz querer ir adiante e não desistir do que é o mais importante para mim (mesmo que isso custe alguns sacrifícios)

Talvez eu possa dizer que eu estou amando afinal..

Ou não

Quem sabe…

Mas enquanto a pessoa certa não aparece com um ursinho pomposo

Uma caixa de bombons 

Ou um perfume para eu me deliciar,

Eu me contento com as minhas músicas e a minha vontade de seguir em frente.

Feliz dia dos namorados

Little Diary 6

Cada momento tem sua música perfeita.
É como em um filme em que cada cena é projetada e sincronizada perfeitamente para determinado tipo de trilha sonora e que apenas um especialista em som pode fazer esse trabalho.
Mas, na nossa vida, na nossa triste e ao mesmo tempo tão bela realidade, não tem ninguém para colocar o melhor som na melhor hora, nem um maquiador para te deixar bonita o tempo inteiro, muito menos um roteirista para escrever a história do jeito que cada um quer.
Isso somos todos nós que fazemos: cada dia por si só e cada minuto marcante faz ser o que somos e a vida como ela realmente é.
Como aquele em que você olha pela janela e vê o pôr do sol esplendido e tranquilo se despedindo aos poucos depois de um dia desgastante.
Como quando você vai cozinhar e de repente uma música alegre e dançante começa a soar.
Ou em uma noite turbulenta ou chuvosa em que a música triste é sempre lembrada.
A vida não é nada mais do que isso: músicas tristes, felizes, calmas, românticas, plenas, todas juntas em um único CD sem tamanho definido e previsão de lançamento indeterminada assim como seu término.
Mas você pode apostar que cada disco é perfeito e pleno do jeito como cada pessoa é.